O Lucas

Advertisements

Presente

Amar-te é sertir-te aqui comigo, mesmo que esteja longe. 

Amar-te é a ausência de estar só. 

Amar-te é estar sempre com saudades de ti. Mesmo quando te tenho aqui tão perto.

Amar-te é um presente constante, ignorando que o tempo existe. Amar-te é o parar do tempo, do que já não é importante. 

Pouco me importa o quando desde que me digas ainda amo.

Gosto de ti. Mas porquê?

Porquê meu cupcake? Porque sim. Todos os dias te mostrarei um pouquinho meu amor. Que isto do amor tem muito que se mostrar e pouco que se explicar. Para que te sintas segura e cada vez mais forte. Mesmo que não vejas logo, um dia verás tudo. Se olhas o mar e não vês a ilha não quer dizer que ela não está lá. Um destes dias verás a tua ilha. Uma feitinha toda só para tu veres e lá ires sempre que queiras.

Onde estás


A vida é uma espera. Esperamos que tudo corra bem e nada corra mal. Esperamos. Sempre. Os dias que se medem à espera de tudo e para nada. Gosto de ti e já espero nada. Estás aqui. E tu que me perguntas onde estás. Estou no teu coração. É aí que me encontras sempre à tua espera. Não esperes tu por mim que já lá estou. 

Contigo arrisco e de nada me escondo. Vivo porque quem se mostra sem medo, vive. Tiras-me o medo. Dás-me vida. Agradeço-te com palavras. Trago-te palavras que ficam. As flores não ficam tanto quanto queria que ficassem senão também te as trazia. Trago-te pedrinhas e grãos de areia. Gosto de te mostrar feliz coisinhas que ficam, que me lembrem de ti. Um momento por palavra. Um jardim de palavras. Uma pestana sempre no dedo de cima. Desejos que para nós ficam também e tão bem.

JG

Cartas de amor

Está na altura de escrever cartas de amor ao meu amor de uma vida antes que a vela se acabe e seja só arrependimento. 

A Catarina quer cartas de amor e quero ser eu a escrever-lhas. A primeira vai ser a resposta à pergunta quando é que te sentiste a apaixonar por mim. 

Tenho tantos momentos e nunca lhos disse. Se juntasse todos esses pontos felizes com uma linha, faziam-se estendais de luz para iluminar o resto dos meus dias. É esse estendal que quero montar agora. Que burrice não me ter lembrado disto antes. Isso acabou. 

A minha crise dos 40 vai ser centrar-me em ti e esquecer-me de mim um pouco mais e mais até só haveres tu, meu amor.

JG.